Comentaí: Tudo sobre publicação independente

,

Como vocês sabem, publiquei meu primeiro livro de forma independente e hoje estou aqui para contar como foi esse processo.


Eu comecei disponibilizando como e-book, afinal o livro não tinha uma quantidade grande de páginas e não valeria a pena procurar editora para ele. Os sites da Saraiva e do Amazon disponibilizam a publicação de livros digitais, vale a pena dar uma olhada nos manuais de publicação disponíveis.


A dúvida sobre pagamentos e tudo mais é constante, e posso garantir: é seguro.

(No manual, eles avisam sobre o prazo de pagamentos para cada site! Fique atento e não estranhe se “demorar muito” – eles depositam na conta indicada sim.)


Mas, você sabe, nem sempre o pessoal gosta de livro digital! É algo a se pensar também.

Eu tenho outro livro para publicar (e ainda estou pesquisando como farei), então comecei a pesquisar formas para publicar. Acabei conhecendo sites como AgBook e Perse, que possibilitam a impressão de livros sob encomenda; especialmente para autores que estão começando, garante uma distribuição nacional.

A parte ruim destes sites é o frete, que, dependendo do local, acaba sendo mais caro que o próprio livro. Em sites assim, compensa muito mais juntar uma galera para comprar o livro e dividir o frete.



A dúvida é: o livro chega? Sim. Chega. (E chega embalado em plástico bolha, o que eu amei, rs). Eles até enviam e-mail avisando quando foi postado.

 

Alguns sites, como o do Perse (onde publiquei), oferecem recursos, como revisão profissional. Confesso que não utilizei, pois meus próprios professores da escola revisaram meus livros. Mas, acredito que se você quiser investir, uma boa revisão vale a pena.

Sobre o ISBN, não é necessário em nenhum dos sites. É bom ter, pois alguns sites oferecem distribuição de livros com esse registro para livrarias parceiras. Mas se você, assim como eu, ainda não conseguiu dar esse passo, não tem problema, seus livros serão vendidos do mesmo jeito.


A vantagem mais importante de todas, para mim, foi o fato de TUDO ser mérito meu. O livro será impresso exatamente do jeitinho que eu quis, o que vale a pena!

Por outro lado, a divulgação é por minha conta; e é a parte que mais estou tendo dificuldades, ainda não sei fazer marketing (rs). Ainda não superei a barreira do “é meio chato ficar postando sempre”, então só fiz uma publicação até agora.


Outra vantagem é o contato direto com o leitor. Sinto que é algo que faz todas as minhas noites em claro valerem a pena.

Outra coisa que tenho sentido dificuldades é na parte de vendas, como disse não sou boa com marketing, logo não sei “vender meu peixe” direito! 


Sobre tarde/noite de autógrafos: consiga patrocínios, porque custa um “bucadinho” bom. Invista em marcadores de páginas (na internet mesmo, tem vários sites ensinando a fazer), banner, propaganda.

(Ah, esqueci de mencionar que nesses sites, o livro sai mais barato para o autor – até porque não faz sentido pagar para si mesmo.)


Distribua livros em bancas e livrarias (caso tenha o ISBN) de sua cidade. É uma ótima forma de começar a vender fora do site! Também tenha alguns com você, sempre tem aqueles que querem comprar direto do autor.


Se você quer publicar, separe um mês para pesquisas, se você for escolher a publicação independente. Há várias formas para publicação, você, com certeza, vai encontrar aquela que melhor se adapta as suas necessidades. Procure conversar com alguns autores, muitos estão disponíveis para te contar sobre suas histórias com a literatura.


Se você já tem livros publicados, invista no contato autor-leitor. É um contato muito gratificante, além de promover a sua obra naquele famoso “boca a boca”: um leitor te conhece, diz para um amigo o que achou de você, o amigo lê o seu livro e esse ciclo infinito acaba te ajudando na divulgação.


Em breve, farei um post falando sobre a publicação junto a editoras e tudo o que eu aprendi com esse processo de busca. Até mais!

Um beijo e um queijo!


Sobre
Carol Nery
Carol Nery Mineira de 1998. Estudante de Psicologia e Letras,escritora. autora de Paralelas que se cruzam e Docemente, passarinho. Poeta que só ela. Virginiana. Filha de Jó. E, nas horas vagas, é uma curiosa de mão cheia!

Deixe uma resposta